Home » Ponto Final » OAB Federal arquiva representação contra advogado. (com vídeo)

OAB Federal arquiva representação contra advogado. (com vídeo)

* Paulo Sérgio Leite Fernandes
OAB Federal arquiva representação contra advogado


 O Presidente da Associação Nacional de Procuradores da República representou contra o advogado Nélio Machado por hipotética ofensa a um Procurador da República encarregado, em São Paulo, de impulsionar a apuração criminal correspondente a uma operação que parece complicada a partir do nome, difícil de pronunciar e portanto deixado em segundo plano. O advogado teria usado uma palavra mais forte, ferindo a suscetibilidade do membro do Ministério Público autorizado à perseguição em foco.

 Existe, entre a advocacia criminal e o Ministério Público, uma quase rotineira lide. Isso vem dos tempos da cavalaria andante, nos idos de 1215, mas até lá, às vezes, alguém sabotava a lança daquele que não fosse campeão do rei. Quando se chegava à liça, quebrava-se a arma do opositor e, no fim, o outro era ungido vitorioso. Os tempos mudam, mas a humanidade continua a mesma. Hoje, o combate também se deforma porque, frente à combatividade de um dos lidadores, o adversário se vale de ataque abandonando a figura de quem está a ser defendido e lancetando diretamente o corpo de quem o representa. Virou quase rotina nas grandes causas a desorientação do embate, entendendo-se que o enfraquecimento do advogado o obrigaria a deixar ou lacear a atividade defensiva. É uma pena, no fim das contas, que as próprias instituições se envolvam nesse embate, empunhando uma ou outra a bandeira daquele que pretende, por via indireta, sufocar o adversário. As relações entre a OAB e o Ministério Público se mantiveram razoavelmente equilibradas durante toda a ditadura, embora, naquele tempo, a última Corporação se mantivesse enrodilhada no poder censório. Hoje, em pleno período dito democrático, nuvens negras presidem a tudo, não se conseguindo captar o motivo fundamental do enristamento, mas parecendo que, diferentemente daquele estado de força advindo do golpe de 1964, mais e mais o poder se robusteceu nas entranhas da Corporação persecutória. Não se cuida de uma censura, mas pura e simplesmente de uma verificação que é, no fim das contas, uma repetição da história e da própria ficção, bastando relembrar que em “Scaramouche” Rafael Sabatini já punha o Procurador-Geral do rei caçando o advogado André Louis, forçando este a se disfarçar de ator de teatro para fugir à guilhotina. São coisas da vida, mas o membro do Ministério Público precisa reforçar a toga e não se perder em suscetibilidades. No fim de tudo, sempre sobra uma “ralada” no debate judiciário. O combate no plano penal é atividade diferenciada a ser exercitada dentro de dose de amadurecimento que não se turva ante uma ou outra expressão mais agressiva. É, então, o desenvolvimento de atribuições deferidas aos mais fortes.  Quando se fica mais antigo, aprende-se a separar as questões realmente graves e as guerrilhas desimportantes. Entretanto, isso só vem com a experiência, ou com a idade, talvez. Os moços precisam de paciência para ver e aprender.


*Advogado criminalista em São Paulo há cinqüenta anos.

Um Comentário sobre “OAB Federal arquiva representação contra advogado. (com vídeo)”

  1. CLODOALDO disse:

    LIXO!

Deixe um comentário, se quiser.

E