AS FOTOS DA RÉ E A SAIA DA JUÍZA

 (Roberto Delmanto)

A jovem esposa, depois de alguns anos de casamento, abandonou o lar, deixando com o marido o filho pequeno.

Ele resolveu, então, pedir a guarda do menor, contratando para tanto um conceituado advogado de família.

Ao entrevistar-se com este, mostrou-lhe as fotos sensuais e provocantes que a esposa postava no “facebook”.

Embora entendendo que o fato dela ter saído de casa, deixando a criança sem qualquer justificativa, seria o suficiente para que a guarda fosse concedida ao cliente, o advogado pensou em anexar ao seu pedido as fotografias da  mulher, que demonstrariam, ao  menos, o pouco recato dela.

Antes de fazê-lo, resolveu mostrá-las à sua esposa, também advogada. Esta o desaconselhou a juntá-la aos autos, achando que seria uma atitude por demais machista.

O advogado aceitou a ponderação  e desistiu de anexá-las à inicial, pedindo liminarmente a guarda provisória sem as fotos, apenas com as declarações de três testemunhas do abandono.

Designada data para ouví-las, o advogado, já na sala de audiências, foi surpreendido com a chegada da bela e jovem juíza, a quem não conhecia, a qual usava uma saia bem curta, quase uma minisaia…

Viu, então, que sua esposa tinha razão e que, se tivesse juntado as fotografias, certamente teria sido contraproducente

Afinal, a roupa da magistrada, que, por sinal, concedeu a liminar, sem dúvida, também era bem sensual e provocante…

Deixe um comentário, se quiser.

E