A PORTA TRANCADA E O SUMIÇO DOS PERUS

                                                                                                              (Roberto Delmanto)

 

Mário Mazagão, renomado Professor Catedrático do Largo de São Francisco-as famosas Arcadas- nos dias em que dava suas preciosas aulas exigia dos estudantes pontualidade absoluta.

Assim, no horário exato das mesmas, a porta da sala era trancada pelo bedel  e ninguém mais entrava, ainda que atrasado poucos minutos.

Até que certo dia, o Mestre, sempre pontual, se atrasou. E, ao chegar , teve a maior surpresa: com os alunos dentro da sala, a porta estava trancada e ninguém  dizia saber onde se encontrava a chave.  A aula teve de ser cancelada e jamais se descobriu o autor da inusitada  “vingança”…

O Prof. Mazagão tinha em seu sítio, perto de São Paulo, uma criação de perus de raça, que era sua “paixão”.

Eis que, numa manhã, o caseiro lhe telefonou logo cedo, dando a  trágica notícia: todos os perus  haviam desaparecido. O Mestre ficou arrazado, não tendo sido recuperada uma só ave, nem se descoberto o autor.

Suspeitou-se dos estudantes,que, segundo se propalou, mesmo não sendo época de Natal, teriam feito uma grande refeição na qual os perus foram o prato principal..

Verdadeira ou não a suspeita, ela entrou para o anedotário acadêmico.

Todo ano, no fim do primeiro semestre, termina o “ o trote” dos calouros e eles, liberados, juntamente com os veteranos, a maioria fantasiada, ao som de marchinhas de carnaval, desfilam pelo centro da cidade.

E até hoje, a popular confraternização é chamada de “peruada”…

Deixe um comentário, se quiser.

E