Home » Crônicas Esparsas » Revista íntima em mulher (Comprovação por filmagem)

Revista íntima em mulher (Comprovação por filmagem)

Paulo Sérgio Leite Fernandes

O vídeo comprovando a desgraçada revista íntima feita no corpo de mulher (escrivã de polícia) suspeita de concussão foi acessado, no youtube, por centenas de milhares de pessoas. Não vale a pena, nem é bom, reproduzi-lo aqui, porque é extremamente humilhante. Sabe-se, entretanto, que aquela reprodução foi acompanhada por comentários feitos por alguém, responsabilizando-se tal divulgador, portanto, pela conservação ou pelo recebimento da cópia. O divulgador originário tem, é claro, informações a prestar sobre a maneira como obteve ciência daquela constatação. E vai dizê-lo, com certeza, até para explicar, eventualmente, a recepção por meio de remessa postal anônima. Interessado ou não no envergonhamento de uma criatura humana e na averiguação de uso abusivo de função pública, o delator fez um benefício à coletividade, pois mais de cem mil pessoas devem estar interessadas no desfecho. Quanto ao vídeo em si, ele constitui, seguramente, corpo de delito de no mínimo duas infrações: uma, se localizado dinheiro no corpo da moça, correspondente ao tipo legal penal de concussão; outra atribuível seguramente às autoridades que vilipendiaram a privacidade, o pudor, a pudicícia, a vergonha, enfim, de mulher manipulada por outra – admita-se até – enquanto sob o olhar coruscante de três ou quatro machos agressivos. Já se vê que, mesmo laceada a figura correspondente à forma pela qual a revista em mulher deve ser realizada, aquele magote de policiais agachados em torno da vítima não escapa de séria investigação. Vai daí, surge a questão: onde está o vídeo primitivo? Em que processo criminal foi inserido? Tramita ainda a ação penal? O magistrado responsável pelo processo criminal movido à possível extorsionária já teve oportunidade de examinar a prova? Viu-a o promotor público com atribuições a tanto? Se não o fizeram, hão de fazê-lo, certamente, porque aquilo não tem perdão. Note-se que não existe, no ordenamento jurídico nacional, a chamada ação penal popular, mas existe aqui uma comunidade enorme, posta na internet, esperando um comportamento positivo das autoridades. No regime democrático, as coisas devem funcionar assim. Apregoa-se a três por dois o controle que a sociedade deve ter sobre a conduta do Estado e de seus agentes. É esta, com certeza, uma oportunidade para um bom teste, ou seja, o descortinar das medidas assecuratórias do retorno à legalidade.

2 Comentários sobre “Revista íntima em mulher (Comprovação por filmagem)”

  1. PSLF disse:

    Comentário sobre o vídeo postado no youtube por touligadoa:

    A senhora que foi revistada pode até ter todos os direitos do mundo para não o ser, ok! Mas e a imagem e os direitos de todos nós brasileiros que ficamos constrangidos ao ver uma cena dessa no youtube? E agora sermos enxuvalhados por chacotas internacionais por causa dessa cena ridícula que todos fizeram, inclusive a suspeita. Esse vídeo não era para ficar sob segredo de justiça? Vai entender essa organização judicial do Brasil…affff!!!!

  2. PSLF disse:

    Comentário para o vídeo postado no youtube por Rasputinho2010:

    O Dr. sempre usa a palavra hipótese, então por hipótese faço um comentário…

    lembre-se desta frase: FOI A CIDA QUE COLOCOU AI…

    O delegado ao dar o flagra se fez acompanhar pela agente feminina, que cumprindo o que determina o tal art.249 fez a primeira revista, mão nos bolsos, mãos por dentro da calça , rotina né mesmo( foi a cida que colocou ai)……. e a agente disse que não encontrou nada, mas o delegado tinha certeza que o dinheiro estava com ela. A partir dai começaram a filmar.

    quando elas armaram pra cima do delegado , isso prejudicava e comprometia a diligência e neste caso , parece que o artigo deixa de ter efeito, e usa-se os meios necessários para buscar a prova, ademais não houve violência e força excessiva por parte dos delegados, a acusada que se debatia e se jogou no chão, resistindo a busca, dando chutes e pontapés.

    Se a tv tivesse dado a seguinte noticia: Escrivã corrupta é revistada e presa em sp após receber propina para liberar arma sem registro.

Deixe um comentário, se quiser.

E