Sobre celulares e laptops 

 RobertoDelmanto.

            O incrível progresso tecnológico do final do século passado continua no presente. Atualmente, os celulares são verdadeiros computadores de bolso, que tudo, ou quase tudo, fazem.

            Se as novidades que a todo tempo surgem são bem-vindas, por outro lado o uso dos celulares tornou-se um verdadeiro vício nacional. Crianças, adolescentes e adultos deles não largam um só instante.

            As próprias conversas entre amigos e namorados deixaram de ser pessoais. Fora os danos psicológicos, ainda não avaliados, já se tornaram comuns as lesões nas mãos e pulsos por esforços repetitivos.

            Nos tribunais, os juízes não deixam por um só momento de usar seus laptops, mesmo quando Procuradores da República ou de Justiça, e advogados,estão com a palavra. O fato gera grande desconforto nos oradores, que têm a sensação de não estar merecendo a menor atenção.

            Paulo Sérgio Leite Fernandes, vice-decano dos criminalistas paulistas, é um colega a quem a natureza privilegiou duplamente, pois além de possuir uma escrita primorosa, é um orador notável.

            Sabe, outrossim, como poucos, respeitar e fazer respeitar a beca que, com absoluta dignidade, enverga há seis décadas.

            Em certa oportunidade, sustentando perante o Pleno do STF, ao ver que a então Presidente continuava usando seu laptop, parou repentinamente sua fala. Surpresa, a ilustre Magistrada perguntou-lhe se já havia encerrado a defesa.

Paulo Sérgio respondeu que, respeitosamente, estava esperando que ela terminasse sua consulta no laptop. A ex-Presidente, mais surpresa ainda com a resposta, disse-lhe que poderia prosseguir, o que o grande tribuno fez, agora com a devida e merecida atenção …

Deixe um comentário, se quiser.

E